Compras online: veja quais e-commerces não são confiáveis e como fugir deles
tecnologia

Compras online: veja quais e-commerces não são confiáveis e como fugir deles

Fazer compras online, uma atitude que antigamente trazia medo e insegurança, virou um hábito cada vez mais frequente nos dias atuais. O aumento avassalador do uso de smartphones, fez pipocar uma série de plataformas de e-commerce, que facilitam e trazem mais comodidade às pessoas.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o varejo eletrônico deve crescer em 12% comparado a 2016, e espera-se uma marca de 38,5 milhões de compradores únicos nas 71 mil lojas virtuais existentes.

Com a propagação da compra online, aumenta também o número de sites não confiáveis, que podem aplicar golpes e fraudes nos consumidores, gerando até crimes virtuais por lojas e ofertas falsas, e o chamado phishing - quando informações particulares ou sigilosas, como CPF, senha de acesso são capturadas para depois serem usadas.

Para que os consumidores possam comprar pela internet com mais segurança, o Procon/SP criou uma lista com mais de 500 e-commerces não confiáveis, que devem ser evitados. Entre eles, curiosamente, está o endereço: www.comprasseguras.com.br. Confira a lista completa aqui: http://bit.ly/SKcpsf.

O órgão também aconselha algumas formas de ter segurança na hora de comprar pela internet.  Caso precise recorrer ao Procon ou poder judiciário: imprima ou salve todos os documentos que comprovem a relação, como o número da compra, confirmação do pedido, comprovante de pagamento, contrato ou anúncios. O produto deve vir acompanhado de nota fiscal, guarde-a.  Anote também dados que permitam identificar e localizar a sede do fornecedor, como razão social, CNPJ e endereço físico.