Linguagem de internet: as gírias de ontem e de hoje
socialmedia

Linguagem de internet: as gírias de ontem e de hoje

Saiba mais sobre as gírias que caíram em desuso e a linguagem de internet que todo mundo tá falani

A gente gosta mesmo de um flashback e essa materinha é muito massa para quem se dedica a analisar o comportamento da sociedade. Bom, a fita é que junto com o boom da Internet e das redes sociais surgem a todo momento gírias ligadas ao mudo virtual. Se bem que você já deve conhecer o significado real dessas gírias, certo? SQN! Migos, as gírias existem desde sempre, e vão se atualizando e evoluindo junto com o ritmo social. Elas acompanham o comportamento das pessoas e os acontecimentos de cada época.

As gírias servem como sinônimos para substituir palavras já existentes e darem um tom mais popular à oralidade, elas variam de acordo com aspectos culturais, regionais e classes sociais.

Se hoje em dia a linguagem da internet é popularizada rapidamente, tornando-se viral, para recordar algumas gírias do passado você vai precisar de uma ajudinha! A gente selecionou termos que já caíram em desuso, mas são bastante curiosos:

Para uma coisa muito boa, as pessoas diziam: o negócio é do balacobaco.
Quando queriam dizer que um cara era bonitão as pessoas falava: esse moço é um pão.
Sabe quando uma pessoa tem uma ideia totalmente absurda? Era uma ideia de jerico.
Quando uma coisa era muito legal, as pessoas falavam: essa matéria tá supimpa.
Tomar um drink no fim do dia era: vamos tomar uns birinaits.
A boa e velha pinga também podia ser chamada de: água que passarinho não bebe.
Quem chegava no meio da conversa e queria entender tudo, dar opinião ou polemizar era tipo: pegou o bonde andando e já quer sentar na janelinha.

Essas gírias antigas são supimpas né?! Que tal você resgatar algumas e lacrar na sua turma de amigos?

Vlw, flws...

 

Fonte: Buzzfeed